Páginas

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Transparência e compromisso

A recente crise instalada na Assembleia Legislativa do Paraná, após a divulgação dos “atos secretos”, inflamou a discussão da necessidade de transparência do poder público. Transparência cobrada pela população há décadas, mas que ganhou força política recentemente com a criação do projeto Ficha Limpa e do Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral (MCCE) que ganha cada vez mais visibilidade e apoio da população.

A indignação surgida ante os atos secretos aumentou com o pronunciamento do Deputado Jocelito Canto de que todos os deputados possuem ‘caixa 2’. Essa declaração não poderia ser mais infeliz, uma vez que quando diz “todos” os deputados, ele acusa a si próprio. Uma casa que já se encontrava em apuros, agora aparece ainda mais desmoralizada diante da população. Porém, se isso realmente é verdade, onde estão as provas?

Em uma sociedade onde as leis são a base para a manutenção da ordem, nenhuma acusação pode ser feita sem que haja como comprová-la. Como coordenadora regional em Ponta Grossa do Partido Popular Socialista (PPS) – divisão mulher – sinto-me no direito e no dever de lembrar que nossos partidários possuem uma ficha completamente limpa e de que as bandeiras do PPS sempre foram a transparência e a proximidade com a população, colocando sempre em primeiro lugar a consciência de se trabalhar pelo povo e para o povo de forma limpa.

Em um cenário político marcado pela corrupção e pelo legislar em causa própria, devemos levar em conta as medidas que buscam uma democracia no sentido estrito da palavra, ou seja, um governo do povo. Sendo assim, o governo do povo só é possível quando este se vê realmente representado e respeitado por seus representantes que devem atuar de forma transparente, ouvindo a população e não utilizando seus cargos para benefício próprio.

Mostra-se então, necessário uma renovação no modo de se fazer e se pensar a política. Em primeiro lugar, devemos incentivar ações como o projeto Ficha Limpa e cobrar de todos os nossos representantes a aprovação dessa iniciativa que parece ser deixada de lado por muitos, sendo sempre postergada sua votação. Outra mudança necessária é a real transparência das ações governamentais de forma que seja acessível a toda a população. Além disso, vejo que apesar das mulheres serem grande número, a baixa participação feminina em cargos representativos contribui para que a política seja algo ainda mais distante e, consequentemente, mais obscuro para a população.

Portanto, reitero as declarações feitas de que nosso partido possui uma reputação inatacável, podendo ser estendida a todos os nossos partidários, ocupantes de cargos públicos ou não, e de que só podemos pensar em um governo realmente representante dos anseios da sociedade exigindo a inserção não só das mulheres na política, mas de todas as minorias que compõe a nossa população e não se sentem contempladas nas ações governamentais. Transparência e compromisso dos nossos representantes não deve ser exceção, mas sim a regra na política.

Nenhum comentário:

Postar um comentário